Hoje pela manha fomos sumariamente surpreendidos com um esperado feedback da estréia nacional do Game of Thrones, que aconteceu ontem, às 21h na HBO. Primeiramente, gostaria de dizer que tive que ver o primeiro episódio novamente só para testemunhar como teria ficado a dublagem, devo dizer que ficou muito bom, com exceção do Brandon Stark, que, sendo criança, entende-se a dificuldade de um profissional de dublagem. Veria a série toda dublada fácil.

Voltando ao assunto principal, o tal feedback veio da Revista Veja, que apontou vários aspectos positivos do recém estreada seriado e de toda a série de livros de George R. R. Martin. O problema é que tais aspectos foram mostrados em uma comparação triste e e predatória do clássico literário O Senhor dos Anéis. O jornalista não-identificado põe em pauta aspectos como “As Crônicas de Fogo e Gelo terem mais livros que o Senhor dos Anéis”, “Haver passagens sexuais em seus livros” e “O fato de que Martin ainda está vivo” para mostrar a suposta superioridade do autor.

O que o fanboy que assina a matéria não deve entender é que são obras distintas para públicos distintos. Senhor dos Anéis é uma história de fantasia medieval infanto-juvenil enquanto Game of Thrones é uma história sobre política e traição dirigida para o público adulto que por acaso se passa na época medieval. Isso para mostrar que foi uma comparação superficial e desnecessária.

Não estou aqui para sujar a já imunda reputação da revista em questão, só estou aqui para dizer o que penso, contextualizar todos os leitores e mostra-los a resposta a altura que o amigo FReNeTiC escreveu em sua blog. 10 razões pelas quais Turma da Mônica é (muito) melhor do que Veja.

5

Eu até ia colocar os lobos, mas não couberam. Para desencargo, aqui estão eles:
Se você não entendeu porque não conhece Game of Thrones, passe para a próxima postagem.

4