Hoje pela manha fomos sumariamente surpreendidos com um esperado feedback da estréia nacional do Game of Thrones, que aconteceu ontem, às 21h na HBO. Primeiramente, gostaria de dizer que tive que ver o primeiro episódio novamente só para testemunhar como teria ficado a dublagem, devo dizer que ficou muito bom, com exceção do Brandon Stark, que, sendo criança, entende-se a dificuldade de um profissional de dublagem. Veria a série toda dublada fácil.

Voltando ao assunto principal, o tal feedback veio da Revista Veja, que apontou vários aspectos positivos do recém estreada seriado e de toda a série de livros de George R. R. Martin. O problema é que tais aspectos foram mostrados em uma comparação triste e e predatória do clássico literário O Senhor dos Anéis. O jornalista não-identificado põe em pauta aspectos como “As Crônicas de Fogo e Gelo terem mais livros que o Senhor dos Anéis”, “Haver passagens sexuais em seus livros” e “O fato de que Martin ainda está vivo” para mostrar a suposta superioridade do autor.

O que o fanboy que assina a matéria não deve entender é que são obras distintas para públicos distintos. Senhor dos Anéis é uma história de fantasia medieval infanto-juvenil enquanto Game of Thrones é uma história sobre política e traição dirigida para o público adulto que por acaso se passa na época medieval. Isso para mostrar que foi uma comparação superficial e desnecessária.

Não estou aqui para sujar a já imunda reputação da revista em questão, só estou aqui para dizer o que penso, contextualizar todos os leitores e mostra-los a resposta a altura que o amigo FReNeTiC escreveu em sua blog. 10 razões pelas quais Turma da Mônica é (muito) melhor do que Veja.

5

Comentários

5 comentários antigos

  1. Na verdade eu não acho que sejam para públicos distintos, mas sim, obras de épocas históricas diferentes.

    Tolkien nasceu ainda no século XIX (1892), e obviamente sua obra reflete os ideais e as experiências vividas nesse período. O Senhor dos Anéis não é uma obra infanto-juvenil, mas uma obra que pertence a seu tempo.

    Por isso, OSdA nunca poderia conter elementos sexuais, etc, como em A Guerra dos tronos (cujo autor ainda está vivo e presenciando todo esse contexto do século XXI).

    Guerra dos Tronos é um romance que busca se adaptar aos tempos e aos leitores de hoje. Por isso há nele essa “contemporaneidade” de temas. O autor como indivíduo histórico presenciou muito mais coisas do que Tolkien. Ele vive a contemporaneidade e isso é refletido em suas obras.

    Em minha opinião, ambos são livros voltados ao público adulto, porém cada um em seu contexto histórico.

  2. Eu vi seu pst da materia no twitter e quando vi o 1 motivo nem deu coragem de continuar lendo. Jornalista é uma racinha foda pra falar merda do que nao entende, e eles fazem isso SEM PARAR uahuha

  3. Na boa, matéria piada e desnecessária da Veja, nem vou comentar senão não vou parar, como no comentário que deixei lá no post da matéria e até hoje está aguardando moderação.. e olha que nem xinguei ninguém e fui educado até demais..

  4. Isso, Maira resumiu o que eu tentei dizer no post da matéria original mas falei de mais. :P

    A propósito, os comentários começaram a aparecer por lá, e não precisa nem dizer que a quase totalidade deles mostram a “infelicidade” da autora, pra ser bonzinho.