Bom pessoal aqui vamos nós para mais um resenha. Desta vez vou falar de um programa que uso a muito tempo a até hoje não ví melhor.

Com certeza em alguma pasta você tem um arquivo MP3 salvo no seu computador, a diferença entre o noob e uma pessoa organizada está na qualidade do player que você usa. A grande maioria com certeza ainda apela para o Ruimdows Windows Media Player, que apesar de fornecer uma série de funcionalidades não está nem um pouco perto de ser prático ou simpático, outros devem usar o clássico Winamp, que apesar de realmente prático, não é exatamente completo em funções. Enfim, para aqueles que sentem um arrepio ao verem um arquivo salvo como “track 01.mp3” apresento a grande solução para seus problemas.

Para quem não sabe, a maioria dos arquivos MP3 tem “tags”, que são dados embutidos no arquivo referentes ao álbum, artista, ano e quaisquer outras informações com relação a aquela música. Através do Media Monkey você pode organizar todas as músicas do seu PC (ele faz uma varredura na máquina inteira se você quiser) através destas tags e ainda renomear o arquivo a partir destes mesmos dados.

E ainda mais: Se você tem o costume de ripar CDs, é só fazer isso através dele que as tags são preenchidas automaticamente com as informações do CD que são retiradas de sites específicos da internet que são acessados no momento da ripagem. Ele ainda oferece suporte para sincronizar músicas ou playlists no seu aparelho MP3 com seu computador mesmo que ele seja um iPod (coisas da Apple são chatas neste sentido).

Outras funções importantes no programa são:

  • Suporte a Lyrics (a letra da música passa ao mesmo tempo em que o som);
  • Ajustes para os tipos de músicas (rock, jazz, etc)
  • Conversão para os formatos de áudio mais comuns.
  • Capacidade de identificar músicas duplicadas no seu PC, mesmo que estejam com nomes diferentes.
  • Ajuste de Volume, para poder corrigir faixas altas ou baixas demais
  • Suporte a todos os plugins compatíveis com o Winamp.

E várias outras.

O que eu mais gosto deste programa é a interatividade através do TrayIcon, que é aquele ícone pequenininho que fica do lado do relógio do Windows. Se você der um clique nele, a musica pára, clicando de novo ela continua, clicar, segurar e arrastar para cima ou para baixo aumenta ou diminui o volume, para direita ou esquerda avança ou recua a faixa.

Todas esta funções estão disponíveis na versão freeware do programa, que tem mais algumas funcionalidades (como gravar MP3 em CD de áudio convencional) na versão paga. Como qualquer programa, existe na rede formas de desbloqueá-lo sem pagar, mas a versão freeware já é bastante interessante e pode ser obtida no site oficial.

Falou e até a próxima.

Quem assiste hoje em dia a nova linha de reclames da TIM nem pode imaginar que aqueles caras azuis são muito mais que que reles performistas.

Em 1988, os americanos Chris Wink, Matt Goldman e Phil Stanton (trio CMP) formavam uma equipe técnica de teatros e shows, onde trabalhavam com efeitos, luzes e sons. Logo começaram a se apresentar nas ruas como mímicos com instrumentos de percussão improvisados, chegando até a se apresentar em um funeral em 89.

Blue-Man-Group-zona nerd

Logo se formou o Blue Man Group, que consistia na mesma idéia de suas apresentações nas ruas, só que incorporando personagens azuis curiosos, bem-humorados e enérgicos, que muitas vezes são confundidos com alienígenas. Em 99 o grupo lançou seu primeiro single, contendo apenas algumas músicas de sua fase de produção, mas foi em 2003 que o grupo lançou seu DVD da turnê The Complex, que trazia vários vocalistas convidados.

Lembro que em Dezembro de 2006 eu havia ganhado o DVD de amigo secreto, logo que abri o presente acompanhado da pessoa que tinha me dado, meu irmão se apressou em perguntar: “É DVD de quem?”. Fiquei apreensivo, pois não sabia se Blue Man era o nome do grupo ou da gravadora e não queria dizer perto da pessoa que tinha me presenteado, então apenas respondi: “Ah! É o DVD de um show…desses caras aqui ó!”. 7 meses depois, durante uma tarde chuvosa, resolvi colocar o DVD para assistir, fiquei totalmente perplexo com o show, a sintonia, os efeitos e como eles tinha o dom de deixar a platéia, que tinha uma faixa etária enorme, toda animada.

Hoje em dia, o grupo conta com mais de 60 Blue Mans, e uma escola para eles. Para ser admitido devesse ter peso e medidas específicas (não seria legal ver um fat blue man perdido no palco). O trio original (conhecido como CMP Blue Man) ainda se apresenta, mas apenas nas maiores cidades do mundo.

Confira abaixo a música Time to Start, trecho do The Complex Rock Tour

Com a patrocínio da TIM, o grupo fará shows no Credicard Hall em São Paulo de 2 a 13 de Setembro (eu estarei lá dia 12 \o/). Ingressos podem ser comprados aqui e o motivo se de ir ao show pode ser conferido aqui.


Bom, aqui é o Perps, o primeiro colaborador da Equipe Zona Nerd e estou aqui para dar início a segunda coluna do blog.

Tem gente que gasta suas as horas extras jogando, assistindo TV ou ainda simplesmente coçando. Apesar de reconhecer que não é uma ocupação comum eu baixo e testo programas.

Foto, áudio e vídeo são meus favoritos, mas sempre que vejo alguma coisa interresante nos diversos feeds de tecnologia que assino me apresso para baixar e testar. Pra ser sincero nem sempre sigo no caminho dos registros apelando as vezes para um ou outro crack, mas isso não é o tipo de coisas que vocês vão ver nesta coluna. Não vou dizer em momento algum que é só digitar “crack” ou “serial” no google seguido do nome do programa que você acho o que quer.

Aqui você vai se antenar em quais são os melhores programas para cada tarefa, resenhado por quem gasta horas e horas baixando e testando inúmeras versões. E pra começar…

TV no seu PC

Lançando sua nova versão 7.03 no final de Julho temos este, que apesar de não ser o pioneiro no setor, é um dos maiores programas de vídeo streaming usado na rede, principalmente no âmbito nacional.

Mas afinal. O que é vídeo Streaming ??

Não muito antigamente, para poder se ver um vídeo era necessário puxar todo o arquivo para o seu computador para só então pode assistir. Hoje, na geração youtube isso não é mais necessário.

Esta tecnologia permite que usuários e empresas de vídeo e áudio coloquem suas máquinas a disposição para ficarem capturando vídeo de um determinado canal e disponibilizando na rede ou postando um canal particular com um tema qualquer. Desta forma você pode, com uma simples conexão com a internet, ter acesso a uma gama enorme de canais, colocados a disposição por um sem-numero de pessoas.

Se você tem uma conexão banda larga que não seja da telefônica minimamente estável já pode usufruir deste programa que nada mais é que um player que agrega centenas de canais sobre dezenas de temas.

A maioria (80%) dos canais exige somente uma conexão de 250kbps, porém para um melhor uso desta tecnologia o ideal é ter a uma conexão de no mínimo 1mbps para te deixar com um pouco de banda disponível para outros usos.

Para ser um usuário deste programa não é necessário uma máquina muito potente. Porém este programa deixa alguns segundos do canal que está sendo assistido armazenado no seu computador para evitar que oscilações na rede fiquem travando o vídeo. O resultado disso é um vídeo que flui bem, ao preço de um consumo de memória RAM nem um pouco modesto. Então se você tem uma máquina com pelo menos 1gb de RAM este programa vai rodar muito bem.


A tecnologia streaming não abrange somente programas ao vivo, ela pode ser usada também para episódios separados o que nos deixa com uma porção de canais onde se pode encontrar filmes e séries para serem assistidos a hora que quiser. Você simplesmente escolhe o episódio e dá play.

Quanto à qualidade, não se pode ser muito exigente. Como a intenção é priorizar a velocidade de transmissão à maioria dos vídeos apresenta a qualidade de vídeo do youtube (as vezes pior).

Em resumo: Este programa nada mais é que um compêndio de canais dispostos em vários sites (como o Diário da TV) de uma forma mais organizada e é ideal para quem quer, sem muita exigência, ter a praticidade de assistir TV na tela do computador seja querendo ver um jogo de futebol no seu notebook no meio da aula da faculdade ou não perder as vídeos cacetadas enquanto acessa a internet. Isso sem contar o acesso a canais bloqueados na tv aberta ou mesmo a cabo (sim esses canais mesmo).

O MegaCubo pode ser encontrado em qualquer site descente de download e em outros nem tão decentes assim, ou no próprio site.

É com essa postagem que darei início a um novo tipo de colaboração para o blog. Já é bem comum em diversas mídias de comunicação a forma de informação em colunas, e em nosso blog não seria diferente. De início teremos duas colunas, uma que apresento agora, e uma posteriormente.

Nunca fui uma pessoa muito ligada à música e nem a livros (fato que me penalizo todos dias), mas uma coisa que sempre gostei, acompanhei e sou aficionado é a televisão. Será disso que minha coluna irá tratar: séries, desenhos, documentários, inéditos, clássico, contemporâneos, únicos…A maioria das coisas que um dia passou na TV passou pelos meus olhos, e está guardada na mente do…

Para a coluna inaugural irei falar de uma série que para mim tem certo destaque, poucos pessoas podem conhecer, já que não há previsão de que venha para o Brasil, mas torço que com as informações que estou prestes a expôr, mais pessoas se interessem por essa magnífica série.

Legend of the Seeker

Há algum tempo eu não via uma obra da época medieval feita com tanto esmero como essa. Acredito que a última que foi de fato produzida foi Hércules: A Lendária Jornada, que apesar de divertida não era ideal já que se passava numa época bizarra greco-oriental-egíptoromana e que as lutas não era tão emocionantes, aspecto que foi mais bem explorado em outra série do gênero, Xena: A Princesa Guerreira, que se passava na mesma época e até teve direito há alguns crossovers (quando personagens distintos se encontram) com Hércules, mas que mesmo assim não era ótima, porque por mais que tentasse, a Xena não conseguia ser sensual.

Mas não é coincidência sua semelhança, o produtor dessas duas séries, Sam Remi, junto com sua equipe criativa também assina Seeker. Outra grande semelhança são os belíssimos cenários da Nova Zelândia, que há tempos são explorados em séries do gênero e até por algumas equipes de Power Rangers, que já tiveram várias de suas cenas filmadas lá.


O Seeker e sua Confessora em um dos belos cenário da série
(não se engane com sua roupa, ela dá porrada pra cacete)

Legend of The Seeker é uma série adaptada da linha de livros americanos Sword of Truth escritos por Terry Goodkind que contam a história de Richard Cypher (que na série interpretado por Craig Horner), um rapaz do campo que descobre ser parte de um profecia que o indica com o Seeker of Truth (Buscador da Verdade), um posto que munido de uma espada mágica o coloca com salvador de todo um reino contra as opressões do rei tirano Darken Rahl. Mas ele não está sozinho, terá como professor um lendário, sábio e antigo mago (o carismático Bruce Spence) e uma poderosa confessora (veja a seguir) interpretada pela belíssima Bridget Regan.

Os grandes aspectos que acredito que se destacam nessa série são: as lutas coreografadas que muitas vezes são de fato emocionantes, os cenários belíssimos já citados, os efeitos especiais que para o nível de seriados são ótimos (acho que só perdendo para Supernatural) e o mais importante, todo o universo que Goodkind criou realmente ser muito interessante.

A confessora Kahlan, o Seeker Richard e o mago Zedd

Durante a série somos apresentados as Confessoras, uma espécie de ordem de freiras guerreiras com poderes mágicos de hipnose que não podem amar alguém a não ser que esteja sobre sua influência. Uma dessas confessoras acompanha e ama o Seeker e muitas vezes protagoniza com ele cenas de romance proibido que dão um toque interessante a série. Há também outros elementos inéditos, como por exemplo, a classe maligna das Mord’Sith, que são mulheres dominatrix imunes a magia treinadas sem sentimento para que de uma forma rude e agressiva tentem reproduzir os poderes das Confessoras.

Esses e vários outros elementos fazem de Legend of the Seeker um ótimo exemplar de série medieval que ainda pode ser acompanhada, já que 2º temporada estreiará em Novembro desse ano. Não posso deixar de comentar de como essa série me fez lembrar da antiga série da Saban, Os Cavaleiros Místicos de Tir-Na-Nog (que se alguém conhecer, por favor comente, porque parece que só eu assistia isso), que eu considero a mistura perfeita entre o modelo sentai e o tema medieval. Outra série atual medieval que parece ter ganhando algum destaque nos EUA é Merlin, seriado que conta a adolescência do famoso mago, mas essa fica pra depois.

Veja um dos teasers da 1º temporada e para mais informações, veja o site oficial.

Como já comprovamos em outras postagens, nerds também amam, apenas lhe dê uma boa chance, que irá se surpreender. Ví em um blog americano uma dessas propostas de casamentos nerds, logo me lembrei de outras duas e pesquisei mais algumas e elegi as 5 melhores que você vê agora.

Atenção:Se você, nerd assumido, estiver pensando em juntar os trapos com sua senhora, pense em algo realmente bom e nem venha copiar algo da lista, sabemos que você pode fazer melhor.

5. Buscando por Amor.

Para pedir em casamento sua namorada Yisha, Barry criou uma página dentro do mecanismo de busca do site em que trabalha e deu um jeito para que Yisha buscasse por seu próprio nome no navegador. O resultado era o pedido de casamento, com a foto do casal. Quando ela olhou para trás, lá estava Barry, de joelhos, com flores e a aliança. Eles se casaram em 2006.
Conheça mais de sua história

4. Twitter para que te quero!

Em Outubro de 2006, Sean Bonner fez uma proposta para sua namorada, Tara Brown, pelo Twitter, ela logo aceitou. Sean relata que recebeu mais de 10 páginas de “parabéns” pelo Twitter de amigos, amigos de amigos e “gente que eu nunca viu antes”. Sean conta em seu blog como conheceu Sara e como surgiu a idéia de pedí-la em casamento pelo Twitter.
Blog do Sean

3. Morte, sangue e muita emoção!

Em Novembro de 2007, o jogador on-line de Halo 3, Moviesign, havia feito uma mapa para o jogo e convidou Furtive Penguin, sua namorada a mais 2 anos para um mano-a-mano. Quando o jogo começou, Moviesign levou discretamente Penguin para um canto especial do mapa e fez o pedido. Logo após isso, eles se mudaram para Chicago, ele trabalha como um designer gráfico e ela como editora.
Notícia na comunidade X-Box

2. Programação serve para isso também.

Tammy adorava o jogo Bejeweled, mas tinha pouco tempo para jogar, então Bernie, seu namorado desenvolveu uma versão para o console Nintendo DS. Ao mostrar para ela, apenas disse “ter achado na internet”. Quando Tammy atingiu um certo número de pontos, um anel aparecia na tela e com grande pergunta.
Mais imagens e detalhes

1. Uma vitória para ambos

Foi dessa história que me lembrei. Em 1996 (eu acho), Richard Garfield, o criador do cardgame Magic: The Gathering fez uma carta toda especial para essa ocasião e chamou sua namorada para uma partida amigável. Em certa altura do jogo, ele jogou um feitiço branco chamado Proposal, a carta dizia: “Permite que Richard peça Lily em casamento. Se a proposta for aceita, os dois jogadores ganham; junte as cartas em jogo, ambos os grimórios e cemitérios como se fossem um baralho compartilhado.”, o resto vocês deduzem.