Depois de muito tempo, estou de volta com a segunda coluna da série de 3 sobre Supergroups, que ficou prometido na coluna anterior, sobre o Chickenfoot. Agora é a vez de Black Country Communion, outra banda que reúne nomes de peso do cenário musical. Os integrantes do Black Country são:

Glenn Hughes: Pra já começar apelando, Glenn Hughes é um dos maiores nomes do rock quando o assunto é baixo. Já tocou no Deep Purple e no Black Sabbath, além do Trapeze uma banda menos conhecida porém igualmente foda, recomendo também. No BCC além de tocar baixo (fantasticamente, o riff de baixo na primeira música já é pra cair o queixo) Hughes ainda mostra que canta pra caramba, sendo o vocalista principal das faixas de 1 até 5, 7, 8, 9 e 12.

Jason Bonham: Jason Bonham é filho do lendário baterista do Led Zeppelin, John Bonham, e provavelmente isso abriu várias portas por si só, mas estas não teriam continuado se abrindo se Jason não se mostrasse competente com as baquetas. Já mandou ver em bandas como UFO e Foreigner, Também substitui o pai no concerto de reunião do Led Zeppelin em 10 de Dezembro de 2007.

Joe Bonamassa: Bonamassa é um garoto prodígio da guitarra. Com 12 anos de idade ele já estava abrindo show do BB King, não é pra qualquer um. Em 1994 é lançado o primeiro (e único) álbum da sua primeira banda, Bloodline, que tinha na formação quase que 100% filhos de músicos famosos. O álbum colocou um single na posição de nº32 na Billboard. Depois disso a banda se separou e o Bonamassa seguiu em carreira solo, lançando vários álbuns de grande qualidade que mostram sua habilidade com a guitarra e suas influencias do blues britânico e rock clássico. Ele também canta e é o vocalista principal das faixas 6, 10 e 11.

Derek Sherinian: Por ultimo e, detesto dizer isso, menos importante vou falar do Derek Sherinian, que é um tecladista de calibre pesadíssimo que já tocou com Zakk Wylde, Alice Cooper e Dream Theater. Mas se o cara é tão bom assim porque eu disse que é “menos importante”? Simples: É raro um momento em que se ouça com clareza o teclado na maioria das músicas do BCC e não lembro de nenhum momento que o teclado tenha desenvolvido papel de destaque em qualquer música, o que, principalmente quando comparado com outros trabalhos dele, deixa uma certa sensação de “Cadê o Derek?”. Espero que no próximo, o Derek se destaque um pouco mais, seria um desperdício não explorar o talento desse cara.

O álbum de estreia homônimo  foi lançado em Setembro de 2010 e possui no total 12 faixas. Eu classificaria o som da banda como “rock clássico” com bastante influencia de blues e hard rock 70’s (variando um pouco de música para música) e é sem dúvida algo que todos os fãs do gênero deveriam ouvir, pelo menos para matar a curiosidade. Fica ai mais uma prova de que o rock não morreu porcaria nenhuma. Pode até ter perdido o lugar ao sol no mainstream, mas será que isso é ruim mesmo?

Bom, fiquem com o setlist e até a próxima.

1. “Black Country”
2. “One Last Soul”
3. “The Great Divide”
4. “Down Again”
5. “Beggarman”
6. “Song of Yesterday”
7. “No Time”
9. “The Revolution in Me”
10. “Stand (At the Burning Tree)”
11. “Sista Jane”
12. “Too Late for the Sun”

Comentários

4 comentários antigos

  1. Esse é o melhor dos supergrupos da atualidade.
    Vão lançar um novo album ainda este ano!
    Os melhores Supergrupos são:
    1- BCC
    2- Them crooked Vultures
    3- Chickenfoot
    4- Whocares (que só está nesta posição porque só tem 2 musicas até agora)

  2. Opa pessoal, valeu pelos comentários.
    Junior, não sabia que o segundo album do BCC tinha saido já, vou conferir. Essa banda é muito boa! E parabens pela coluna, muito boa, eu preicso ouvir mais coisas do Hughes.

    CJ, a proxima coluna será sobre o Them Crooked Vultures pra fechar o trio de supergroups.

    Whocares eu não conhecia, vou procurar depois, quem sabe sai até uma quarta coluna sobre supergroups?

    E tem aquele “Super Heavy” que não sei o que esperar…