Quase todo nerd já sonhou em um dia se tornar um desenvolvedor de jogo. Até eu, que nem sou ligado tanto em programação já sonhei com isso (se bem que era mais na parte de história do jogo). Com o passar dos anos, alguns de nós seguem outras carreiras e outro percebem que o sonho pode ser alcançado.

O pessoal do G1 entrevistou o catarinense Tarquínio Teles, fundador da Hoplon e desenvolvedor do MMORPG Taikodom para conseguir algumas dicas sobre essa desejada carreira nerd. Fiquem agora com suas palavras:


Profissional brasileiro
“O Brasil tem profissionais muito bem qualificados. O que falta é experiência em games de grande porte, como ‘Taikodom’. O profissional brasileiro não fica a dever aos profissionais de outros países, independente da área. O que falta, às vezes, são as oportunidades de especialização.”

Formação Acadêmica
“Alguma formação acadêmica é importante, embora não necessariamente específica na área de games. Isso porque os cursos dirigidos especificamente ao desenvolvimento de jogos foram abertos só recentemente, e é muito comum os profissionais serem formados em áreas correlatas. Os desenvolvedores, por exemplo, geralmente são formados em Engenharia ou Ciência da Computação.”

Desafios
“Eu diria que o maior desafio ao criar “Taikodom” foi, sem dúvida, desenvolver tecnologia e conhecimentos próprios, pois quando começamos não havia uma metodologia pronta para se desenvolver um MMOG.”

Prazer em jogar
“Entender o produto que se desenvolve é a premissa básica para qualquer profissional. No caso da indústria de games, isso significa jogar. Aqui na Hoplon, nós incentivamos nossos funcionários a jogarem ‘Taikodom’. É uma forma de eles entenderem melhor a dinâmica do jogo e as necessidades dos jogadores.”

Dicas
“Eu acredito que a pessoa realmente interessada em aprender e atuar nessa área busca conhecimento em diferentes fontes e ferramentas. Essa característica autodidata e a experiência prática adquiridas colocam-no em um patamar muito semelhante ao de profissionais de países onde há uma indústria de games mais desenvolvida.”

Vagas abertas
“Estamos constantemente à procura de perfis profissionais aqui na Hoplon. Os cargos dependem da época, claro, mas a área de programação é a que tem mais necessidade de profissionais.”

Perfil
“O requisito principal é gostar de games. Quanto aos outros requisitos, depende um pouco da área, mas se for para generalizar, eu diria que o profissional deve saber trabalhar em equipe, ter conhecimentos sólidos e competência em sua área de atuação. Outra característica primordial é ter uma boa noção do que faz um game ser divertido e capacidade de se manter atualizado.”


Vantagem em ser desenvolvedor: Poder sacaner o mundo inteiro durante anos sem ninguém saber.

Se você não entendeu, não pertence a esse lugar.
Acho que já perceberam que peguei do Insuportáveis.

Se quisesse beber em paz, usasse um copo.
Traduzido pelo The Thinker, feito pelo Oglaf.

Creio que todos os RPGistas já passaram por isso: Sentar numa mesa esperando uma bela tarde de diversão, que se tornam um grande pesadelo coberto de sangue na mão de ferro de um gigantesco fascista…Ou simplismente enfrentar um mestre de RPG muito maligno com o grupo. Veja abaixo alguns sintomas disso.


1. Você tem jogado por 3 semanas, e já tem 76 personagens mortos.

2. Um dado de 20 lados é usado com freqüência para rolar dano…de uma adaga.

3. Seu guerreiro fica bêbado e passa a mão no traseiro da garçonete. Ela puxa de baixo do balcão um arco longo composto e uma flecha matadora de guerreiros.

4. Há armadilhas em todas as portas da cidade, até nos banheiros.

5. A maioria dos camponeses tem o triplo da sua vida, e conhecem a magia Bola de Fogo

6. Seu grupo matou Emberburn, o mais aterrorizante e poderoso dragão que o Mestre já criou. O Mestre olha fixamente para você, em choque, ainda segurando o dado com o ‘1’ que ele rolou para o último ataque do dragão. Depois de segurá-lo por cinco minutos, murmurando “Emberburn…..ember.. …ember…burn…”, ele olha novamente para você. Seu olhar de surpresa se foi, e um sorriso maldoso se abre. “Isso acontece”, o Mestre fala alegre, “o dragão lançou lançou uma magia de ilusão, ele está esperando vocês na caverna…”

7. Seu mago tem uma discussão com um esperto mercador local. Finalmente, depois de irritado ao máximo, ele lança uma magia de enfeitiçar para persuadir o mercador. Infelizmente, o mercador é um elfo mago aposentado de nível 22. Balançando sua cabeça, você começa a criar seu novo personagem.

8. Árvores podem, e frequentemente o fazem, explodir em uma gigantesca bola de fogo de 20d6 de dano. Nenhuma explicação é dada.

9. Os coelhos normais não existem. Eles foram substituídos por coelhos da morte (iguais ao de ‘Monty Python em Busca do Cálice Sagrado’).

10. Seu ladrão de nível 15 teve o nariz arrancado pelo chute de uma garotinha de oito anos.

O final de semana passou e todos nós da comunidade RPGista pudemos (ou não) conferir se nossas expectativas sobre o recém-nascido evento seriam verdadeiras. E eu só digo uma coisa: sim.


Me perdoem se vou expor uma opinião que não é tão pública como eu imaginava, mas desde o começo eu sabia que esse encontro foi feito as pressas e não chegaria aos pés de um EIRPG, mas para mim, a verdadeira meta dele era reanimar a comunidade em questão e provar que nem tudo está perdido.

Não vou poder falar de todo o evento, porque infelizmente não pude ir os 2 dias, mas conversando e buscando opiniões pude traçar uma especulação de como foi o evento em geral.

Na área das lojas haviam poucos stands, mas bem selecionados e de forma muito bem organizada, cumprindo o básico de um evento com livros, wargames, tabuleiros, camisetas, dados e onde podemos ver o a 2º edição de Inimigo do Mundo com nova ilustração na capa e informações extras. Não sei se isso se encaixa na categoria, mas a equipe da Medieval Brasil também se fez presente, expondo e comercializando suas réplicas de armas, roupas, acessórios e objetos medievais tudo sempre com um ambiente bem aconchegante.


Nas mesas de RPG não havia o que reclamar, haviam grandes mestres presentes e tudo separado por temas como fantasia, terror e sci-fi e outros, onde se tinha a oportunidade de jogar por sí só ou com a experiente turma do RPG Arautos. Pudemos também conferir o lançamento do primeiro wargame de miniaturas nacionais, os Nazi Mekas.


Sobre as workshops só posso comentar sobre a de animação, que foi dada pela galera da Melies e que de início ensinou a esculpir as formas que seria mais tardes escaneadas, mas não posso deixar de comentar a beleza e perfeição que continham as esculturas prontas que foram trazidas por eles. Conclusão: deve ser uma ótima escola do ramo e com pessoas muito talentosas.



Pudemos ver grandes artes, vários ótimos cosplay’s e uma belíssima anfitriã…

Uma das coisas que mais de surpreendeu foi a apresentação cosplay, que me fez perceber que existem pessoas no mundo além de mim que gostam de se fantasiar de forma medieval que não seja copiando algum personagem de anime. Era ótimas fantasias com um destaque especial para o indivíduo vestido da raça dragonborn. Tivemos também no final um pequeno teatro com uma homenagem ao falecido Rei do Pop.

Uma das coisas a se reclamar (eu sei que é coisa de gordo) foi a praça de alimentação, que se resumia a duas barraquinhas armadas no quadra de futebol, acredito que com tanta coisa para se preparar, o menos importante ficou sem atenção. Um erro muito insignificante.

…e algumas coisas que não precisavamos termos visto

Tivemos também área de cardgame, freeplay, liveaction, D&D Miniatures, campeonatos de vários jogos, palestras, mini-eventos paralelos, discussões e várias outras coisa das quais eu não pude participar.
Adivinhem que Kaji escolheu o Vader no Soul Calibur IV?

Em minha conclusão final, devo parabenizar a galera do 3d System que conseguiu reanimar o espírito dos eventos de RPG em escala nacional e que se Deus queiser Odin ordenar crescerá muito mais a partir de hoje. Devo adimitir que em alguns aspectos a comparação com o EIRPG que fiz no começo por ser inválida. Além disso conseguiu também, espero que não só em mim, reanimar o pequeno RPGista que estava adormecido a algum tempo e me fez perceber o quanto esse hobby me dá orgulho e o quanto contribuiu para me tornar a pessoa que sou hoje.

Para ver mais fotos, vá de o Flickr oficial do evento.