Resolvi fazer mais um catado de informações e opiniões sobre uma franquia, dessa vez, apelando para uma das mais versáteis e fodástiscas franquias da história: Tartarugas Ninjas. Pra quem não sabe, as aventuras dos ninjas mutantes renascentistas começaram como histórias em quadrinhos preto e branco em 1984, com enredos bem maduros e traços sombrios, em que morte a sangue eram presentes nas histórias. Elas até tiveram um retorno no Brasil em sua mídia pioneira em 2012, pela Panini, mas o foco não é esse! Vamos falar das suas versões em movimento!

Teenage Mutant Ninja Turtles (1987)
Quem era da época realmente teve um choque em ver que as tartarugas ninjas assassinas dos quadrinhos haviam virado esses humoristas ambulantes. Apesar de infantil, o desenho era bem legal, a apresentava aventuras com inimigos recorrentes e enredos envolventes, que podiam durar mais de um episodio, e foi uma ótima maneira de apresentar esses personagem ao público da época, explorando todo seu potencial comercial. O desenho era bem mais voltado para o humor e ao público infantil, então nada de sangue ou morte, e muito menos usar as armas por aí (o College Humor até tirou sarro disso já), isso até é estranho de se pensar, já que elas eram ninjas, mas nada que a bizarrices dos anos 80 não resolvesse, incluindo também uma versão japonesa, que teve dois OVAs produzidos na mesma época, com direito a armaduras e poderes. Abertura.

TMNT: The Next Mutation (1997)
Depois do sucesso relativo dos filmes (continue lendo), a produtora americana Saban Entertainment (mesma de Power Rangers, fica vendo…) resolveu lançar uma série live-action das tartarugas, que, apesar das mudanças, eu gostava bastante. A série acontece depois dos filmes, então nada de Destruidor como vilão principal, para esse cargo temos Dragon Lord, uma criatura milenar cheia de poderes místicos. A principal e mais gritante mudança era a presença de uma quinta tartaruga, ISSO MESMO! A fêmea Vênus de Milo teve a mesma origem dos nossos conhecidos, mas havia sido criada no Japão até sua adolescência e treinada na arte da magia, e foi seguindo Dragon Lord até o ocidente que a aventura da série começava. A série era bem divertida e engraçada, com várias cenas de porrada e piadinhas (destaque para a dublagem que parece que injetou 400ml de malandragem carioca nas tartarugas), mas por conta dessas mudanças e de outras bizarrices (tipo um crossover com Power Rangers!), a série não emplacou, e foi cancelada com 26 episódios. Abertura.

Teenage Mutant Ninja Turtles (2003)
Essa série melhorou em muito o quesito animado da franquia: As tartarugas começaram a ter personalidades bem distintas, se destacando entre si pela liderança, habilidade, inteligência e criatividade, além do laço fraternal que liga elas ganhar muito mais destaque. O humor pastelão deu espaço para uns trocadilhos ocasionais, mas principalmente para mais ação e enredo. A série foi muito boa e teve mais de 150 episódios ao longo de 7 temporadas, mas talvez tenha sido esse o problema: As aventuras das tartarugas eram loucas demais! Seus episódios incluíam viagem no tempo, alienígenas, criaturas de outra dimensão, super-heróis, encontro com deuses gregos e luta contra seres do fundo do mar, ou seja, tudo muito estranho, até mesmo para elas. Abertura.

Teenage Mutant Ninja Turtles (2012)
A nova série mal havia estreado e já tinha uma segunda temporada encomendada, mas não é por menos, é facilmente, a melhor série de todas! Todos os pontos fortes das outras séries estão presentes aqui: fortes personalidades, união fraternal, grandes cenas de porrada, maturidade e muitas piadinhas se juntam nessa ótima animação em computação gráfica. A série começa com as tartarugas com 15 anos, em sua primeira aventura no mundo exterior, considerando as idades, é de se esperar as piadinhas, mas não é de se esperar quando elas resolvem cair na porrada e suas íris dos olhos somem em suas mascaras, aí nessa hora você lembra que elas são ninjas e que tá na hora de botar pra fuder. A série tem por enquanto só 12 episódios, mas segue bem uma história linear sobre invasão alienígena, enquanto apresenta uma versão muito sinistra do Destruidor, com certeza algo para se acompanhar. Abertura.

Filmes Live-action (1990 – 1993)
Foram lançados um total de 3 filmes live-action das Tartarugas Ninjas, contando histórias diversas, e cada filme produzido, o sucesso foi diminuindo. O primeiro, contava sobre seu primeiro encontro com a repórter April O’Neil durante uma reportagem investigativa. O filme foi um sucesso gigantesco, rendendo quase 15x o valor investido, além de ser muito bem aceito entre os fãs da época. O segundo filme, contava mais sobre sua origem e relação com o mutagen, o produto usado para criar elas. Houve uma grande queda de desempenho em relação ao filme anterior, especulasse que foi por conta das piadinhas muito infantis e das cenas de luta, o que não se deixou claro se o filme era para crianças ou adolescentes. Por fim, o terceiro filme conta uma história aleatória sobre viagem ao passado no Japão feudal, resultando em um péssimo desempenho nas bilheterias americanas, rendendo pouco mais que o dobro investido, o filme até que é engraçado, mas não passa disso. Trailer.

TMNT (2007)
É com esse título resumido que chega esse ótimo longa metragem de computação gráfica. Acho que é a mídia que mais avança na idade das tartarugas, mostrando uma equipe meio decaída e sua ascensão na batalha. Alguns anos se passaram desde o último encontro com o Destruidor e o Foot Clan, Leonardo foi mandado para a América Central para aperfeiçoar suas técnicas, enquanto em Nova York, as tartaruga se viram como podem, separadas pela ausência de um líder, até que o surgimento de um novo inimigo as faz se unirem novamente. Há muita discussão familiar e acerto de contas no filme, coberto por uma animação bem madura, ótimas cenas de luta e humor na medida. Trailer.

Turtles Forever (2009)
Foi um filme direto para TV produzido em parceria com a Mirage Studios (a produtora da série de quadrinhos de 84) para comemorar os 25 anos da franquia. Uma distorção temporal é a desculpa usada para reunir as três equipes totalmente distintas, as tartarugas sangrentas dos quadrinhos de 84, os fanfarrões de 87 e os mais modernas de 2003, em uma aventura que mistura todos os personagens e universos. O filme é muito divertido, por conta da interação entre elas e das piadinhas por causa das personalidades e das questões de design do desenho. Não importa qual sua versão favorita, o filme vai se fazer rir. Trailer.

Comentários

4 comentários antigos

  1. Pingback: As Tartarugas Ninjas – A empolgação que faz o filme ficar maneiro | Zona Nerd